sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nostalgia...

Andava eu a arrumar tralhas cá em casa quando dei de caras com um poema lindo. Não sei quem é o autor, mas era usado pela Natália de Matos nas aulas de dicção e, encontrá-lo fez-me bem. Revivi belos tempos e antigos amigos... deixou-me com um sorriso, mas muito muito nostálgica e com um sentido de vazio tremendo. Ai ai





Há dias em que te amo menos. Talvez, porque nesses dias, não vestes uma blusa verde. Talvez não seja isso e sim o facto de não levantares os braços e não sorrires abertamente ao declamares os poemas que te fiz. Há, de facto, dias em que te amo menos. Durante tempo quis evitar pensar as razões porque isso me feria, especialmente nos dias em que não mordes as palavras como costumas morder as minhas mãos. A pouco e pouco tenho aceite amar-te menos alguns dias para saber os que te amo mais.
Há dias em que te amo menos. E são dias que passam devagar e me deixam um travo amargo na garganta. Mas há também os outros dias e são esses que aproveito para viver.


Sem comentários:

Enviar um comentário