sábado, 28 de abril de 2012

terça-feira, 24 de abril de 2012

Grândola Vila Morena


Onde é que estavas no 25 de Abril?


E Depois do Adeus


Memorias XXXIII


25 de Abril - Salgueiro Maia - o meu herói


Madrugada de 25 de Abril de 74, parada da Escola Prática de Cavalaria, em Santarém:

"Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados sociais, os corporativos e o estado a que chegámos. Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos! De maneira que, quem quiser vir comigo, vamos para Lisboa e acabamos com isto. Quem for voluntário, sai e forma. Quem não quiser sair, fica aqui!"

Todos os 240 homens que ouviram estas palavras seguiram para Lisboa.


Sempre que falo ou oiço falar de Salgueiro Maia lembro-me da história que me contaram sobre a chegada a Lisboa.
A coluna de tanques vinda de Santarém para fazer A revolução cumpriu o código da estrada e parou em todos os semáforos vermelhos em Lisboa até chegar ao Terreiro do Paço.

:-)))

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nostalgia...

Andava eu a arrumar tralhas cá em casa quando dei de caras com um poema lindo. Não sei quem é o autor, mas era usado pela Natália de Matos nas aulas de dicção e, encontrá-lo fez-me bem. Revivi belos tempos e antigos amigos... deixou-me com um sorriso, mas muito muito nostálgica e com um sentido de vazio tremendo. Ai ai





Há dias em que te amo menos. Talvez, porque nesses dias, não vestes uma blusa verde. Talvez não seja isso e sim o facto de não levantares os braços e não sorrires abertamente ao declamares os poemas que te fiz. Há, de facto, dias em que te amo menos. Durante tempo quis evitar pensar as razões porque isso me feria, especialmente nos dias em que não mordes as palavras como costumas morder as minhas mãos. A pouco e pouco tenho aceite amar-te menos alguns dias para saber os que te amo mais.
Há dias em que te amo menos. E são dias que passam devagar e me deixam um travo amargo na garganta. Mas há também os outros dias e são esses que aproveito para viver.


Memorias XXXI


segunda-feira, 16 de abril de 2012

E agora, onde vamos?

Adorei este filme. 
É incrível como trata um tema tão pesado e difícil de um modo tão engraçado e divertido. Parece simples, mas não é. Parece leviano, mas não é. Parece cómico, mas não é.
É absolutamente delirante! Um filme tocante,  divertido e dramático. Uma tragicomédia!
As mulheres (cristãs e muçulmanas) de uma aldeia do Líbano fazem tudo ao seu alcance para acabar com as disputas entre os homens das duas facções religiosas que, à semelhança do resto do País, guerreiam por tudo e por nada. Elas queimam jornais, destroem a tv, contratam "bailarinas", drogam os homens e até... mudam de religião.

http://www.imdb.com/title/tt1772424/

A banda sonora é de Khaled Mouzannar e é f-a-b-u-l-o-s-a.

Memorias XXX


sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sexta feira 13!


A sexta feira 13 é normalmente considerada um dia de azar e a paranóia deste dia é absolutamente delirante. Andei a pesquisar e, ao que parece, a superstição remonta à mitologia nórdica e a duas histórias.


Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. 
Segundo outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos. 

Afinal são os nórdicos que têm a culpa da nossa superstição. Mas eles já não o são. hi hi hi

Memorias XXIX


domingo, 1 de abril de 2012

Mário Viegas



No dia 1 de Abril de 1996 morreu Mário Viegas.
Infelizmente!
Felizmente podemos vê-lo e ouvi-lo por esta internet.
Felizmente podemos recordá-lo nas nossas memórias.


Que falta nos faz!


Um beijo, onde quer que esteja!